CONTINUIDADE DA FORMAÇÃO DO DIA 05/05 EDUCAÇÃO AMBIENTAL APLICADA Á EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO

CONTINUIDADE DA FORMAÇÃO DO DIA 05/05 EDUCAÇÃO AMBIENTAL APLICADA Á EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO

 

A escola é o espaço no qual a criança desenvolve seu processo de interação com a sociedade. A criança está sempre disposta a aprender, condição que deve ser aproveitada para promover a Educação Ambiental, fazendo com que elas entendam e aprendam a valorizar a natureza e todos seus elementos formadores.

Nesse contexto, é importante iniciar o trabalho de Educação Ambiental na escola visando sociedades mais justas, onde o cidadão respeita a si próprio, os seus semelhantes e a todas as formas de vida existentes.

Assim, Educação Ambiental vai além de trabalhos em hortas, atividades voltadas à separação do lixo, visitação a zoológicos, à economia de água e a comemoração de datas relacionadas com os temas ambientais.  Dessa forma, visa ensinar e praticar a redução do consumo e a busca por produtos mais ecológicos, a fim de evitar e reduzir a geração de resíduos, compreender o que é ser sustentável, entender as relações do ser humano com o meio ambiente e como é possível causar menos impactos, sempre respeitando a natureza e todos os seus elementos.

Buscando cada vez mais aperfeiçoar suas importantes práticas educativas, os professores da rede municipal envolvidos no projeto EDUCAÇÃO AMBIENTAL APLICADA À EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL estiveram reunidos no dia 05/05/18 para uma generalização de temáticas ambientais, com a abordagem de temas como IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS E PERCEPÇÕES DA COMUNIDADE SOBRE A BARRAGEM DA USINA HIDRELÉTRICA (UHE) SÃO JOSÉ, CERRO LARGO, RS.  Esta foi desenvolvida pela Me. Karla Marina Ziembowicz – CORSAN. Após com a participação da professora Dra. Tatiane Chassot abordando o COMPONENTE ARBÓREO, com importantes relações com diversos temas ambientais.

No contexto da educação ambiental crítica, a prática educativa visa a formação do sujeito humano enquanto ser individual e social, historicamente situado. Nesta perspectiva, a educação não se reduz a uma intervenção antropocêntrica, recusando tanto a crença de que mudança social se dá pela soma das mudanças individuais: quando cada um fizer a sua parte. Recusa também a visão do sistema social genérico e despersonalizado que deve mudar primeiro para depois dar lugar as transformações na vida dos grupos e pessoas. As pessoas se constituem em relação com o mundo em que vivem com os outros e pelo qual são responsáveis juntamente com os outros, numa posição de responsabilidade consigo próprio, com os outros e com o ambiente, sem dicotomizar e/ou hierarquizar estas dimensões (CARVALHO, 2004).

Todos são responsáveis pelo meio ambiente e é preciso rever hábitos já consolidados, mesmo os mais inocentes, se quisermos viver em um planeta saudável para todos os seres vivos, contribuindo com a formação de cidadãos responsáveis.